sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

A mulher segue o homem. O homem serve ao feminino.


A seguir um relato de um work shop com Bert Helinger, sobre o relacionamento amoroso e nossos desafios.

Temos que ter um olhar de 360º. Não podemos ficar apenas dentro de nossa dor e de nossos sentimentos de medo, culpa, mágoa, raiva e tristeza.. pois estes todos temos.. mas muitas vezes nossos relacionamentos são "desastrosos" por que na verdade estamos vivendo o peso de nossos ancestrais e não verdadeiramente nossos destinos!

Fiquem com este texto de Mário Lúcio que estará em São Paulo novamente em 25 e 26 de fevereiro para atendimentos individuais.

Com muito amor!..

Madame Sadala

Patos de Minas, 16 de agosto de 2005.

Meus queridos amigos!

Estou retornando do Workshop em Belo Horizonte com Bert Hellinger sobre o tema “Para que o Amor dê Certo”, relacionamento de casal e supervisão de casos apresentados pelos terapeutas presentes. Vou fazer uma síntese do que foi ensinado por Hellinger. Somente posso dizer antes que estou profundamente tocado em minha Alma por tudo que vivi e com ele aprendi. Foi uma honra viver esse momento de meu aprendizado no caminho terapêutico das Constelações Familiares. Escrevo como ouvi e como entendi.

1. O amor entre um homem e uma mulher é o maior, o mais belo e o mais difícil amor, o mais próximo do divino, o condensador do poder divino; no casal esse poder se revela. É um amor criativo.

2. Algumas coisas vão contra esse amor – o amor do casal – todavia, não existe culpa nem culpados, muita vez, estão emaranhados em destinos antigos de suas famílias de origem, no destino de seus ancestrais.

3. Toda solução sistêmica é para toda a família.

4. O casal deve balançar juntos no mesmo tom, ouvir o próprio tom, ouvir o tom do outro, e balançarem juntos no mesmo tom.

5. Quando o casal descreve-nos um problema ou algo do casal, estão freqüentemente falando de sua família de origem.

6. O herói é uma criança que quer assumir algo por seus pais, por arrogância diz: eu posso fazer isso por vocês, faço melhor e maior, e paga um grande preço, o solitário fracasso. Homens são espertos. Heróis são tolos.

7. Os que vieram antes num sistema familiar têm primazia sobre todo o sistema.

8. Os terapeutas devem se lembrar que são os últimos a chegarem na ordem de chegada no sistema daquela família que atendem.

9. O filho predileto da mamãe se coloca, freqüentemente, acima do próprio pai, ele diz: sou melhor que meu pai e que minha mãe, e se coloca entre o pai e a mãe.

10. Cada um de nós se movimenta num Campo Espiritual, onde tudo ocorre, onde todos pertencem, vivos e mortos. Aí atua uma consciência primária que garante o direito de pertencimento a todos. Todos os excluídos de um sistema terão que retornarem ao seu local, por amor isso será feito.

11. As doenças estão em sintonia com os excluídos e, quando eles forem reincluídos, a doença não se faz mais necessária, pois já cumpriu o seu papel.

12. Por exemplo, crianças hiper-ativas olham para um morto que a família não olha. Os filhos no vício estão olhando para os excluídos, sempre olham para o pai.

13. No “tique nervoso” a criança está falando com outra pessoa através do tique.

14. A depressão é uma agressão escondida, uma agressão mortal. Às vezes, a depressão é melhor, talvez assim o deprimido fique mais tempo vivo.

15. A loucura é sempre sistêmica, pertence ao sistema familiar.

16. Um casal de verdade tem problema.

17. Sobre a raiva: – o que eu fiz a você para eu sentir tanta raiva de você?

18. Os casais estão ligados aos vínculos de destino. O destino pessoal tem prioridade ao destino do outro. Ser fiel ao próprio destino tem prioridade. Os casais crescem juntos em função do destino de cada um.

19. O que faz a relação dar certo: a) sexo – onde há força, respeito mútuo, desejo e permissão; b) amor de coração; e, c) o cotidiano.

20. Onde se aprende o amor de um homem por uma mulher? – Com a sua mãe. Onde a relação com a mãe está perturbada, o casal tem pouca chance.

21. A relação de casal começa no amor à mãe, quem ama sua mãe, considera o amor pela mãe do outro e considera o outro.

22. Sem mãe, nenhum marido. Sem mãe, nenhuma mulher.

23. Escreva uma carta de reverência e gratidão à sua mãe. Ainda hoje.

24. A única forma de retribuir aos pais é passando adiante o que nos deram. E a melhor forma é no encontro com alguém e daí passar a vida adiante.

25. Todo ser humano é bom. Toda criança é boa.

26. A pessoa excluída tem muito amor a dar à sua família.

27. Temos tornado a justiça um ídolo, maior que Deus, como se Deus devesse servir à justiça, e não o contrário. Precisamos ir além desse modelo de justiça para se encontrar a paz. Só o amor é justo. Só a inclusão é justa.

28. Os dois parceiros se permitem mutuamente 10 pecados.

29. Nada é mais suscetível de ser estragado do que a moral. Os moralistas possuem maus pensamentos.

30. Do amor à nossa família, damos ordem e lugar a todos, assim, com amor recebemos os outros que vêm para ela e daí, nos abrimos para o grande amor a todos.

31. A Alma é maior que a consciência.

32. O movimento da Alma nos torna mais doces e amorosos, além do bem e do mal, todos são incluídos.

33. O Brasil é um país aberto e verdadeiro. Inclui a todos.

34. Muitas minorias que vivem no Brasil recusam, freqüentemente, a reconhecer o país que as receberam e se excluem. Desonram o local de onde vieram e agora, onde estão.

35. O casal precisa daquilo que é diferente neles, aí necessitam um do outro, do que os torna humildes.

36. A mulher segue o homem. O homem serve ao feminino.

37. O casal é mais que um homem e uma mulher.

38. O casal diz um para o outro, nessa ordem: SIM, POR FAVOR e OBRIGADO.

39. Aos pais dizemos os filhos, nessa ordem: OBRIGADO, POR FAVOR e SIM.

40. Em Constelações Familiares os representantes sentem repentinamente como aqueles que representam e pertencem ao sistema constelado. Por trás de tudo que se move, há uma Força Criativa. Essa força dirige a tudo. Dirige o bem e o mal. É a mesma força para todos e em tudo. Ela sustenta a vida e a morte. Os julgamentos e a raiva. O amor e a humildade. Ela é que unifica a todos. Ela é includente. O constelador ajuda em sintonia com essa Força. Então o que está ocorrendo é o que de melhor criou essa Força. Em sintonia com essa Força podemos nos ajudar uns aos outros. Por isso, após a constelação, o silêncio e o recolhimento. O ajudante (ou constelador) não se mete na frente da ordem familiar, nem quer saber mais do que é permitido, é muito cuidadoso; aí então, é protegido pelos vivos e pelos mortos. O amor espera. Só o amor realiza esse trabalho.

41. Não se olha para o cliente, mas para o seu sistema. Nossa tarefa é a de ajudar o cliente a sair daquilo que o sobrecarrega. O terapeuta se vira para o futuro do cliente e vê a saída.

42. Quando um terapeuta quer salvar algum cliente, quer na verdade salvar a própria mãe.

43. Os parceiros podem salvar um ao outro. O amor os protege. Não há amor sem vida, nem a vida sem amor.

44. O primeiro amor que vivemos é o amor aos nossos pais.

45. Somente existe crianças boas. Quanto mais os pais crescem no direcionamento do amor que um sente pelo o outro, mais os filhos crescem.

46. Uma doença representa algum familiar que não está sendo olhado. Algumas doenças o filho diz aos pais, morro no lugar de vocês. Na anorexia a filha diz: eu prefiro morrer no lugar de meu pai. A doença renal representa alguém da família que carrega uma grande culpa. Quando todos de um sistema familiar forem incluídos com amor, uma saúde plena habitará esse clã.

47. Todo crescimento ocorre fora do paraíso.

48. Ninguém será feliz ontem ou amanhã.

49. Todos precisamos morrer. Quando morremos perdemos algo. Fica leve. Morremos para que a vida continue. A vida é que nos tem por um tempo, não somos nós que temos a vida. A vida está conectada com algo maior. O divino vive a vida. Com a morte algo cresce.

50. Não se tira uma criança de seus pais. A adoção é permitida quando é feita por amor aos pais da criança, e quando nem eles, nem os avós, nem os tios podem da criança cuidar.

51. A criança fica melhor na sua família.

52. Quando a criança está com raiva de seus pais biológicos, ela projeta a raiva que sente pelos pais adotivos.

53. Os pais adotivos devem muitas vezes prestar uma homenagem aos pais biológicos da criança. Cabe à mãe adotiva apresentar ao filho seus pais biológicos.

54. Mesmo a criança ficando com um dos pais, aquele que com ela ficou cuida de ensiná-la a amar e honrar o outro (pai ou mãe que se foi), a criança assim tem chance de crescer em harmonia.

55. Nenhum filho tem direito a herança. Pertence ao pai e ou a mãe que tenha ficado. Sempre é o pai que decide com quem fica o que.

56. Uma herança tomada sem direito tem efeitos nefastos nas gerações futuras.

57. No suicídio há uma necessidade de compensação no sistema. Uma grande culpa está oculta e alguém quer expiar no lugar daquele que carrega a culpa através da própria morte. Todo suicida deve ser respeitado, amado e incluído.

58. No aborto se perde algo de si, da alma e do corpo, afetando o casal e os filhos desse casal. As crianças buscam a morte quando os pais negam o aborto.

59. Para a criança hiper-ativa, ou que se sente rejeitada, a mãe lhe pode dizer: - a mãe fala olhando para o pai (mesmo que internamente): eu te amei e te amo ainda hoje amando nosso filhinho. O amor que tenho por nosso filho vem do amor que tivemos para recebê-lo.

60. Rejeitar ao homem é rejeitar os filhos que tiveram juntos.

61. A criança na presença só da mãe, sem o pai, não consegue evoluir.

62. Só a mulher (mãe) pode agir, nem a criança, nem o homem; somente a mãe pode agir possuída de uma “compreensão especial” do todo. Ela aproxima a criança do pai, e assim, a criança cresce.

63. Onde os homens são rejeitados pelas mulheres, estes tendem ao alcoolismo, aí, muitas vezes, são novamente rejeitados ainda mais – um círculo vicioso.

64. O trabalho nos dá a grandeza dos antigos caçadores e guerreiros – nos dá dignidade e honra.

65. O que toca a vida no momento indica a vida que nos toca. Vivemos de momento a momento. E no momento, temos tudo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário