segunda-feira, 22 de junho de 2009

O tempo não pára... e o dia tem 16 horas.


Não apenas as pessoas mais idosas, mas também as jovens passam pela experiência de que tudo está se acelerando excessivamente. Ontem foi reveillon e hoje estamos no final de junho em pelo são joão e dentro de poucos dias, será 7 de setembro, aquele monte de feriado de novembro e natal novamente.

Esse sentimento é ilusório ou tem base real?
Pela ressonância Schumann se procura dar uma explicação. O físico alemão W.O. Schumann constatou em 1952 que a Terra é cercada por um campo eletromagnético poderoso que se forma entre o solo e a parte inferior da ionosfera, cerca de 100km acima de nós. Esse campo possui uma ressonância (dai chamar-se ressonância Schumann), mais ou menos constante, da ordem de 7,83 pulsações por segundo.
Funciona como uma espécie de marca-passo, responsável pelo equilíbrio da biosfera, condição comum de todas as formas de vida. Verificou-se também que todos os vertebrados e o nosso cérebro são dotados da mesma freqüência de 7,83 hertz.
Empiricamente fez-se a constatação de que não podemos ser saudáveis fora dessa freqüência biológica natural. Sempre que os astronautas, em razão das viagens espaciais, ficavam fora da ressonância Schumann, adoeciam. Mas submetidos à ação de um simulador Schumann recuperavam o equilíbrio e a saúde. Por vários anos as batidas do coração da Terra tinham essa freqüência de pulsações e a vida se desenrolava em relativo equilíbrio ecológico.

Ocorre que a partir dos anos 80, e de forma mais acentuada a partir dos anos 90, a freqüência passou de 7,83 para 11 e para 13 hertz.
O coração da Terra disparou. Coincidentemente, desequilíbrios ecológicos se fizeram sentir: perturbações climáticas, maior atividade dos vulcões, crescimento de tensões e conflitos no mundo e aumento geral de comportamentos desviantes nas pessoas, entre outros.

Você percebe que as pessoas estão perdidas e que é preciso um esforço enorme para manter manter metas e objetivos.

Devido à aceleração geral, a jornada de 24 horas, na verdade, é somente de 16 horas. Portanto, a percepção de que tudo está passando rápido demais não é ilusória, mas teria base real nessa aceleração da pulsação do planeta que a ressonância Schumann, têm revelado.

Esse superorganismo vivo que é a Mãe Terra, deverá estar buscando formas de retornar a seu equilíbrio natural. E vai consegui-lo, mas não sabemos a que preço, a ser pago pela biosfera e pelos seres humanos. Abro aqui um espaço de conscientização para os possíveis cenários, ora dramáticos, com catástrofes terríveis, ora esperançosos, como a irrupção da quarta dimensão, pela qual todos seremos mais intuitivos, mais espirituais e mais sintonizados com o biorritmo da Terra.
Não pretendo reforçar esse tipo de leitura... Apenas enfatizo a tese recorrente entre grandes cientistas e biólogos de que a Terra é, efetivamente, um superorganismo vivo, de que Terra e humanidade foram feitos para estar sempre em harmonia, como os astronautas testemunham de suas naves espaciais. Nós, seres humanos, precisamos da Terra que nossa casa é, que amamos. Por que? Segundo a teoria de Schumann, possuímos a mesma natureza bioelétrica e estamos envoltos pelas mesmas ondas ressonantes Schumann.


Se queremos que a Terra reencontre seu equilíbrio, devemos começar por nós mesmos: fazer tudo sem estresse, com mais serenidade, com mais harmonia, com mais amor, que é uma energia essencialmente harmonizadora. Para isso importa termos coragem de não ficar absolutamente refém da indústria jornalistica, ser anticultura dominante, que nos obriga a ser cada vez mais competitivos e efetivos.

Precisamos respirar junto com a Terra, para conspirar com ela pela Paz e juntos diminuirmos os batimentos cardíacos do planeta, restaurando serenidade, valores e saúde.

Artigo feito a partir dos estudos de Leonardo Bison - National Geo

3 comentários:

  1. Eu sempre acreditei que a vida possui 5 minutos mágicos. São esses 5 minutos que fazem a diferença brutal entre o coitado e o vitorioso... E lendo este artigo, eu passei a dar muito mais crédito aos meus 5 minutos.

    São aqueles 5 minutos de choro e de crise, de quando algo não dá certo, de quando acaba um casamento, ou se perde um emprego. São os 5 minutos salvadores. Os 5 minutos em que podemos e devemos colocar toda a nossa, tristeza, meninisse, desespero, tudo o que nos incomoda para fora. É neste período de tempo que devemos nos jogar no chão, chorar todas as dores, sofrer todas as vergonhas e humilhaçoes.
    Mas passado os 5 minutos... não há mais espaço para o luto, ou os sentimentos negativos, senão apenas para bons sentimentos que nos farão alcançar muito mais rápido nossas vitórias.
    Eu sempre achei que a qualidade de viver esses 5 minutos, e saber dizer basta ao final deste tempo é uma das principais ferramentas emocionais que podemos ter em nossa vida.

    E mais que nunca vou usa-lo, porque nossa vida é curta demais para desfrutar de todas as coisas boas que podemos alcançar. E eu não pretendo desperdiçar.

    ResponderExcluir
  2. Kiz!.. Muito bom! Obrigada por sua contribuição. Seu depoimento deve ser lido e considerado como uma meditação.
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir